quinta-feira, 28 de agosto de 2014

Estou Lendo...

A Elite: seis garotas e uma coroa - Kiera Cass
 
E você? Que livro está lendo agora?

quarta-feira, 20 de agosto de 2014

Estou Lendo...

A Seleção: trinta e cinco garotas e uma coroa - Kiera Cass
 
E você? Que livro você está lendo agora?

sexta-feira, 8 de agosto de 2014

Estou Lendo...

Presente do Mar - Anne Morrow Lindbergh
 
E você? Que livro está lendo agora?

quarta-feira, 6 de agosto de 2014

Jesus Viveu na Índia, de Holger Kersten

Esta obra mudou a minha vida, no sentido de que foi um marco em minha visão sobre Jesus.  Não sou religiosa, uma vez que considero uma limitação a direção única para uma das vertentes que lidam com as coisas do espírito.  Sempre preferi analisar as diferentes religiões, buscando os pontos de contato entre elas.  Além disso, desde cedo, repudiei a religião católica como me foi passada inicialmente, que não traduzia o amor como elo fundamental e sim calcada em culpa, castigo e vitimização.  Com o passar dos anos, meus estudos independentes e, sobretudo a observação criteriosa da vida me fez entender que as linguagens das várias religiões divergem muitas vezes, porém a verdade é uma só: existe uma Lei. E a crença em Deus, independente do nome ou da representação que possa ter, tornou-se realidade para mim.
Mas, voltando ao livro, ele é espetacular, porque é um documentário bem conduzido sobre a história de Cristo, considerando não só o que está contido no Antigo e no Novo Testamento, mas ainda numa pesquisa profunda em locais sagrados e históricos em Israel, Afeganistão e outros países do Oriente Médio, como também na Índia.  Esta pesquisa levanta a possibilidade e se propõe a prová-la (e fará sua própria avaliação) de que Jesus sobreviveu à crucificação, que foi um iniciado no Budismo (que conheceu desde a adolescência), que após sua “morte” viveu na Índia, onde praticou e ensinou seus princípios, que chegou a idade avançada e foi enterrada em Caxemira.  Publicado pela primeira vez, provoca até hoje grande polêmica, mas o fundamental é que continua estimulando a expansão da consciência dos seus leitores.

segunda-feira, 4 de agosto de 2014

Uma Aprendizagem ou O Livro dos Prazeres

Uma Aprendizagem ou O Livro dos Prazeres - Clarice Lispector

Falar sobre este livro é como mergulhar no mundo de Clarice: não se sabe aonde vai dar. Mas, com certeza, é luz, é pura lucidez. É voltar-se para si, descobrir-se, descobrir o mundo, a ligação que há entre todas as coisas, todos os fatos, é a noção da Unidade, da conexão, da teia que nos une a tudo, de estar irremediavelmente conectado, de fazer parte (bem antes da “explosão” da Física Quântica). E esta noção de nunca estar só, que apenas se consegue com a prática da solidão, no sentido de voltar-se para dentro e observar, me foi despertada pela descoberta de Clarice, através deste magnífico livro, o primeiro dela que eu li. Interessante que isto aconteceu na década de 1980. Ele foi presente do meu grande amor e passei meses nas primeiras páginas, como se algo em mim fosse aguardado, até poder devorá-lo, penetrar no âmago de suas palavras, incorporá-lo e nunca mais esquecê-lo. Depois, vieram muitos outros, com “Água Viva” quase desisti de aprender, mas era impossível não prosseguir e assim, ela tornou-se minha escritora preferida.  É um livro belíssimo, de uma delicadeza espantosa, apesar de tantas vezes nos lançar, sem pedir licença, às profundezas e abismos de nossas almas.

É interessante lê-lo, mesmo para aqueles que não se identificam com a obra de Clarice.

domingo, 27 de julho de 2014

A Cidade do Sol

 A Cidade do Sol - Khaled Hosseini

É uma história comovente que expõe a vida no Afeganistão nas últimas décadas com os horrores da guerra, a realidade cruel dos refugiados e a condição da mulher no país, focalizando, de forma brilhante, a emoção humana. É um livro denso, em que as personagens mostram a crueza das relações onde a opressão, a fome e as dificuldades dos conflitos vividos retratam o que existe de pior e de melhor no ser humano.
O autor, nesta teia tão magnificamente elaborada, onde sobressaem as fraquezas e a grandiosidade da alma humana, destaca duas personagens femininas que, de oprimidas pela própria condição conseguem, através da força de seu caráter, salvaguardar seu poder de opção no momento limite de suas vidas. Ao decidir seu próprio destino, a despeito das situações mais adversas que se apresentam no desfecho da trama, a protagonista nos fala da única liberdade verdadeira: a de quem aprendeu, pela força do amor, o desapego.
As duas personagens centrais, unidas pelo sentimento de amor, nos mostram que foi a renúncia de uma delas que possibilitou a realização de seus anseios de uma vida feliz na vida da outra. Excelente livro.

sexta-feira, 18 de julho de 2014

Hermógenes

Depois que o sol aparece, não há por que continuem acesas as lâmpadas que os homens inventaram.

sábado, 5 de julho de 2014

Hermógenes

Aqueles que desejam felicidade têm muito que aprender das frutas. Elas alimentam o faminto. Aceitam sejam seus restos desprezados. Deles suscitam novas safras. Às dentadas que as dilaceram respondem com dulçor.

sábado, 7 de junho de 2014

Hermógenes

São as muitas lágrimas derramadas que limpam os olhos, preparando-os para ver.
Mas, a Realidade não pode ser vista enquanto os olhos não secarem.

sexta-feira, 6 de junho de 2014

Hermógenes

Não se turbe tua felicidade pelas maldades, crimes, vícios, fomes, guerra e perdições que assolam o mundo, e as predições que o ameaçam. Continua sereno.
Não devemos esquecer que, até certo ponto, temos o dever de tentar algo para salvar alguma coisa. Precisamos esforçar-nos para evitar a hecatombe, e criar algo, no meio da devastação. Mas...
Que pode fazer o menino pastor para evitar que a plantação seja pisada pela manada que estourou?